A Lei de Pureza Alemã

Reinheitsgebot! Calma, juro que não estou xingando você! Essa é a palavra alemã para a famosíssima Lei de Pureza vigente no país desde 1516, que diz que os únicos ingredientes permitidos na cerveja são água, malte, lúpulo e levedura. E é por conta dessa lei que a cerveja alemã é a melhor e mais pura do mundo! Bom, pelo menos é o que boa parte das pessoas pensa quando ouve falar sobre o assunto. Mas será que isso tudo é verdade? Ou, melhor dizendo, será que algo nisso tudo bate com a realidade? De qualquer maneira, a Lei de Pureza é um marco para a Escola Alemã, e baliza a produção e consumo de cerveja nesse país há tempos. Ou seja: precisamos falar sobre a Reinheitsgebot! Então sente na cadeira, pegue a sua cerveja e vem junto com Blog da Beercode explorar um dos tópicos mais importantes e controversos do mundo cervejeiro!

História

Era uma vez o Ducado da Baviera (atualmente um estado alemão, também conhecido como Bavária). No dia 23 de abril de 1516, o duque Guilherme IV da Baviera promulgou uma lei que atravessaria séculos e impactaria diretamente no estilo de produção e consumo de toda a Alemanha, antes mesmo de ela existir como país. Mesmo envolta em controvérsias ao longo do tempo, o fato é que a lei se tornou popular mesmo fora da Baviera e foi adotada como lei nacional em 1906, pouco depois da unificação da Alemanha. E com algumas modificações desde então, a lei chegou até os dias de hoje, fazendo com que qualquer cerveja produzida e comercializada dentro do território alemão tenha como ingredientes APENAS água, malte, lúpulo e levedura. E, muito mais que uma lei, este é um traço cultural do público consumidor na Alemanha, já que existe uma rejeição a qualquer bebida que de alguma maneira burle os princípios quase sagrados da Reinheitsgebot


Bem, que a Lei da Pureza é um sucesso de público, e que os alemães acreditam fortemente que ela garante uma qualidade superior da cerveja alemã em relação a de qualquer outro país, nós já sabemos. Mas quanto desse mito construído ao redor da Reinheitsgebot é real? Será que esta foi realmente a primeira lei que regulamentou os ingredientes da cerveja no mundo? Será que ela é seguida desde 1516 por todos os alemães, sem interrupções? E será que ela era mesmo uma lei que tratava da pureza da cerveja? Para entender melhor todas essas controvérsias iremos aprofundar as questões que um bom entendedor de cerveja precisa saber, para evitar repetir clichês e espalhar informações imprecisas por aí. Então, vamos lá, tópico por tópico.



A Reinheitsgebot é a primeira lei de pureza do mundo?

Não. Décadas antes já havia sido promulgadas outras leis que restringiam os ingredientes e métodos de fabricação da cerveja em outras regiões do que hoje é a Alemanha (lembrando que a Alemanha só se tornou um país unificado em 1871). A própria lei de 1516 é apenas o processo de adoção pelo Ducado da Baviera de uma lei idêntica promulgada em Munique em 1487. Mas, com certeza, esta foi a que mais se popularizou, e foi aos poucos sendo respeitada e adotada mesmo em outros pontos do país.

Quais são os ingredientes que a Reinheitsgebot menciona?

Essa é uma boa pergunta. Afinal, em 1516 ainda não sabíamos da existência da levedura, embora o processo de fabricação incluísse uma etapa em que os cervejeiros (mesmo sem saber) inoculavam as leveduras (senão não sairia cerveja, né?).


Então, embora a lei moderna da Alemanha inclua a levedura como um dos ingredientes da cerveja, ela não estava presente no texto original de 1516. Uma outra diferença importante é a citação da cevada no texto original, ao invés do malte que aparece no texto moderno (dúvidas sobre a diferença de malte e cevada? Leia nosso post sobre o processo de fabricação da cerveja!). Ou seja, hoje pode-se fazer cerveja com qualquer grão (cevada, centeio, trigo), desde que ele passe pelo processo de malteação. Na época, apenas o malte de cevada era permitido.


Assim, no texto original temos os seguintes ingredientes permitidos: água, cevada e lúpulo. A lei atual, portanto, é um pouco diferente daquela de 1516, mas pequenas modernizações seriam até esperadas ao longo de séculos de evolução da bebida. O que é interessante, contudo, é que outros tipos de modernizações, incluindo ingredientes que poderiam ajudar a clarificar e ajustar o pH da cerveja, por exemplo, seguem não sendo permitidas por causa do mesmo texto original. Ou seja, dois pesos e duas medidas. Mas tente explicar isso para um alemão (e falhe, miseravelmente).

A Reinheitsgebot era mesmo uma lei de pureza?

Não exatamente. Na íntegra do texto original o que se observa é que a Reinheitsgebot era uma lei que tinha como principal objetivo estabelecer os preços de alguns estilos de cerveja da época. Tanto que o nome Reinheitsgebot (literalmente “lei de pureza”) só foi oficialmente adotado muitos séculos depois, durante o processo de unificação do país. Mas, ao mesmo tempo, uma parte da lei se refere, sim, aos ingredientes permitidos, como já referimos antes. E é inegável que essa parte do texto ajudou a padronizar a cerveja da época, já que era comum serem utilizados outros tipos de ingredientes e métodos de fabricação, o que nem sempre resultava em uma bebida de boa qualidade. Mas, ao mesmo tempo, a restrição da fabricação com grãos de cevada tinha o claro objetivo de proibir a utilização dos grãos de trigo e centeio, já que estes eram necessários para a fabricação do pão e muitas vezes ficavam em falta pela grande demanda dos cervejeiros. Ou seja, embora a Reinheitsgebot tenha, sim, colaborado em um processo de melhora na qualidade e padronização da cerveja, cujos reflexos positivos são sentidos até hoje, a Escola Alemã deixa de explorar outras possibilidades de ingredientes na cerveja por conta de uma questão alimentar de 1516. Faz sentido? Completamente! Desde que você tenha nascido na Alemanha, claro.

Impacto na cultura cervejeira da Alemanha

Independentemente de qualquer discórdia e mistificação ao redor do significado da Reinheitsgebot, precisamos admitir que os alemães fazem, sim, uma das melhores cervejas do mundo. De maneira geral, são cervejas tecnicamente perfeitas, produzidas com tecnologia de ponta e profissionais extremamente capacitados. De certa maneira, a teimosia em torno da obediência quase cega à Lei de Pureza reflete muito da personalidade alemã, extremamente disciplinada e focada nas tradições, mas não exatamente criativa. E este é um bom resumo da Escola Alemã como um todo: cervejas excelentes, com estilos que raramente são reproduzidos fora da Alemanha com a mesma qualidade, extremamente tradicionais, mas com pouca variação de ingredientes e receitas quando compararmos com outras escolas. Mas isso não é, necessariamente, ruim. Nem todos os dias de um apreciador de cerveja precisam ser dedicados a sabores surpreendentes e disruptivos. Um pouco de previsibilidade e tradição também têm seu valor!

Finalmentes

Em resumo: a Reinheitsgebot é, sim, uma peça fundamental na história da cerveja moderna. A padronização de ingredientes que se popularizou a partir da Alemanha chegou a outros países e ajudou a chegarmos na forma atual de produzir e apreciar cerveja no mundo. Só não precisamos ser radicais a ponto de acreditar que essa lei garante que cervejas alemãs sejam, necessariamente, melhores ou até mais dignas de serem chamadas de cerveja, até por que a lei original não é mais do que uma grande inspiração para a lei que está em vigor hoje. Então, sempre que você enxergar uma marca de cerveja querendo se aproveitar da popularidade da Reinheitsgebot trazendo no rótulo algo como “Produzida segundo a Lei de Pureza Alemã”, lembre-se que isso não passa de marketing barato. Afinal, aquela deliciosa cerveja de trigo que você serve, quase que se exibindo para os amigos, no copo de weiss pelo qual você pagou uma boa grana, e que foi produzida na ALEMANHA, não é considerada cerveja pelo texto da lei de 1516.


E aí, tanta informação deve ter deixado você com sede, não é mesmo? Então corre para nossa loja para conferir as ofertas nas cervejas alemãs. Com certeza você vai encontrar cervejas que estão tão de acordo com a Reinheitsgebot que fazem qualquer alemão cantar o hino com a mão no peito, além de deliciosas cervejas de trigo (calma, queridos alemães, foi só uma brincadeirinha).


E, se quiser continuar viajando o mundo em busca de história, além dos principais estilos e rótulos nacionais e internacionais, fique ligado nos próximos posts do nosso blog. E até lá, saúde! Ou, em bom alemão, Reinheitsgebot! Digo, Prosit!

CONTATO

©2020 by BeerCode

Gebrau Comercio de Bebidas e Acessórios Ltda. | CNPJ 16.371.123/0002-50